≡ Menu

Por que o investimento usando os consórcios é o melhor investimento para formação de patrimônio?

Uma pergunta que chega com freqüência nos emails que recebo é a de como o investimento em consórcios se compara com outros investimentos. Apesar de achar o investimento em consórcios o melhor investimento que existe, sou o primeiro a afirmar que ele é o melhor investimento para determinados objetivos, mas não é adequado para outros. A primeira coisa que precisamos determinar então é para que fins o consórcio é o melhor investimento e para quais ele não é a melhor opção.

Explicando rapidamente para o que o consórcio não se presta, é simples: o consórcio não é a ferramenta de investimento adequada para quem deseja lucrar rapidamente. Não existe lucro grande, rápido e seguro em nenhum investimento. Dessas três características, você só pode escolher duas por vez. Então podemos ter um investimento seguro e rápido (mas que rende pouco), um investimento rápido e de grandes lucros (mas altamente arriscado), ou um investimento lucrativo e seguro (mas que leva um tempo até trazer excelentes resultados). O consórcio se enquadra nesta última categoria, é um investimento seguro e altamente lucrativo, mas não é o investimento para quem tem pressa em obter resultados.

O consórcio de imóveis é a melhor opção de investimento para formação de patrimônio. Várias características o tornam o investimento ideal para este fim:

  • Investimento mensal de valores, reforçando a idéia de que investir deve ser um hábito.
  • Possibilidade de investir com pequenos ou grandes valores mensais, servindo como investimento inicial e também como investimento avançado.
  • Ligação direta com o investimento em imóveis, a opção mais tradicional e segura de investimento para formação de patrimônio. Lembrando que enriquecer, é sinônimo de possuir grande patrimônio pessoal ou familiar.
  • Investimento acumulativo e de baixa liquidez. Sim, baixa liquidez é uma vantagem.

Vamos falar brevemente destas características.

Investir deve ser um hábito. Com o investimento em consórcios, investimos valores mensais usando uma parcela de nossas rendas (sim, rendas no plural, pois uma das formas mais rápidas para enriquecer é possuir mais de uma fonte de renda). A medida em que passamos a ganhar mais ao longo dos anos, temos condições de aumentar a quantia investida para manter uma proporção mensal de investimentos em relação ao que ganhamos. O hábito do investimento é o que nos permite alcançar a riqueza, nos permite formar um grande patrimônio ao longo dos anos e nos leva com segurança à tão desejada independência financeira.

O investimento em consórcios é ao mesmo tempo um investimento altamente especializado, mas também um investimento extremamente simples. Usando o plano de consórcios adequado, os passos que temos que seguir para investir desta maneira são triviais, consistindo basicamente dos pagamentos mensais das prestações dos consórcios e, quando contemplados, da escolha de como utilizaremos a alavancagem que os consórcios nos proporcionam para obter o maior lucro possível. Este lucro pode ser na forma de lucro imediato, em dinheiro, ou na forma de lucro patrimonial, permitindo a compra de mais bens do que conseguiríamos apenas juntando dinheiro.

A alavancagem que o consórcio proporciona funciona tanto para pequenos quanto para grandes valores investidos. O consórcio nos permite lucrar através do investimento de valores que não disporíamos, ou seja, lucrar com o dinheiro dos outros. É um lucro que tende ao infinito, pois lucramos sobre valores que não disporíamos se não fosse por essa alavancagem.

Este investimento tem ligação direta com o investimento em imóveis. Há diversas maneiras de lucrar com os consórcios sem que precisemos investir diretamente em imóveis. Podemos vender as cartas contempladas para quem investe na construção ou compra de imóveis para aluguel, podemos investir a carta contemplada através de uma empresa de investimento imobiliário que constrói para vender ou alugar, e claro, para quem deseja investir diretamente em imóveis, há as várias opções de construir ou comprar pronto, sejam imóveis novos ou usados.

O investimento em consórcios possui baixa liquidez. É um investimento em que é difícil ou caro sair antes do tempo certo. Não se deve investir através dos consórcios o dinheiro que podemos precisar dentro de pouco tempo. Isso ajuda a reforçar a questão de que investir deve ser um hábito, mas traz à tona a questão de que devemos possuir uma reserva de emergências líquida, como parte de nosso plano pessoal de investimentos. Apesar de parecer o contrário, possuir baixa liquidez é uma característica desejada neste investimento. O motivo para isso é que a dificuldade de interromper o investimento quando desejarmos ajuda a manter o plano que desenhamos para nosso futuro. O mundo nos apresenta uma série de “tentações” diariamente. Possuir um plano simples que nos mantenha no rumo da independência financeira é a melhor forma de evitarmos cair em tentação e nos arrepender depois que for tarde. Já dizia a música: “Dinheiro na mão é vendaval.”

Por que o investimento através dos consórcios é o melhor investimento para formação de patrimônio?

Até aqui citei apenas motivos “filosóficos” de porque este é o melhor investimento para quem deseja enriquecer. Agora passo às explicações técnicas de como funciona este investimento e quais características o tornam tão melhor do que investimentos mais tradicionais.

Correção anual = juros sobre o investimento.

Enquanto nossas cartas de consórcio não são contempladas, elas são corrigidas para manter seu poder de compra. A primeira correção ocorre no décimo quarto mês e depois anualmente. É corrigido tanto o valor do crédito a que temos direito, quanto o valor mensal das prestações (o valor que investimos). A parte interessante desta correção é justamente ela agir sobre todo o valor do crédito. As correções anuais funcionam como juros que atualizam o saldo dos valores que havíamos pago no ano anterior.

Se fizermos uma simulação colocando uma taxa média de correção anual de 10%, teríamos a seguinte tabela:

Note que mesmo que contemplemos a carta no oitavo ano, ainda assim temos uma alavancagem de 40% sobre os valores que acumulamos ao longo do tempo.

Note ainda que mesmo que sejamos os últimos a ser contemplados, os mais azarados, o Pato Donald dos consórcios, ainda assim receberíamos mais do que pagamos, mesmo contando todas as taxas e seguros incluídos no final.

E como nosso investimento se comportaria em relação ao investimento em renda fixa, supondo as mesmas taxas de correção anual? Olhe a seguinte tabela:

O que esta tabela mostra é que os consórcios geram mais lucros que a renda fixa nos primeiros 100 meses, de um total de 150 meses. Ou seja, temos duas vezes mais chances de ganhar com os consórcios do que investindo na renda fixa. Sem contar o que já tratamos anteriormente, de ser muito mais fácil manter um plano efetivo quando a ferramenta que usamos nos ajuda neste objetivo, como é o caso dos consórcios e a baixa liquidez que possui para saída antes da hora.

Só que tem mais. Devido aos lances ofertados pelos participantes que desejam contemplar mais cedo pagando por isso através destes lances, nos beneficiamos ainda mais desta pressa que os outros tem. Como explico no artigo que escrevi anteriormente para a Revista Papo de Homem, o último a ser contemplado em um consórcio não existe.

O resumo desta situação é o seguinte: lucramos mais com o consórcio se contemplarmos antes de ter passado 100 meses. E a média de tempo para contemplação, devido aos apressados que ofertam lance é de apenas 50 meses. Nosso lucro é baseado nas probabilidades e estatísticas de contemplação, não na sorte.

Se você tem dúvidas quanto aos percentuais de correção anual, veja a tabela do INCC dos últimos anos.

Uma das questões mais comuns que recebo é sobre a taxa de administração que é cobrada pela administradora de consórcio para manter os grupos. A taxa de administração é necessária para pagar as contas e gerar lucro para a empresa administradora dos consórcios. Pagamos tal taxa, porque o consórcio nos traz um benefício, da mesma forma como pagamos todas as outras contas que recebemos mensalmente. O benefício que o consórcio nos traz é a alavancagem que nos proporciona lucros, ou seja, quem paga a taxa de administração não somos nós, mas sim, nossos lucros. Os lucros pagam a conta! Isto é o importante.

Se você deseja construir seu futuro, alcançar a independência financeira e garantir uma aposentadoria tranquila e confortável para você e sua família, o investimento em consórcios é sua melhor opção. Como eu sei de tudo isto? Este é o meu investimento pessoal nos últimos dez anos. Neste período ajudei centenas de pessoas a conquistar seus sonhos e objetivos financeiros. Comece agora mesmo com meu acompanhamento e auxílio em todas as etapas deste investimento, seguindo o passo a passo descrito em como investir.

Adquira agora mesmo seu primeiro consórcio!

Comments on this entry are closed.